São Paulo: Conheça a cidade e sua mobilidade | Blog da Quicko

Metrópole da Mobilidade

A cidade de São Paulo, capital do Estado que leva o mesmo nome, chegou a 12,3 milhões de habitantes em 2020, de acordo com o IBGE. É bastante gente. Muita mesmo. O número faz da metrópole uma das 10 maiores cidades do mundo. E a grandeza vai além da população: são mais de 120 museus, mais de 100 atrativos culturais, 113 parques, pelo menos 9 estádios de futebol, 116 bibliotecas e mais de 50 shopping centers, além de famosos centros comerciais, como os populares da 25 de Março e do Brás e a luxuosa Rua Oscar Freire.
A economia da capital paulista também impressiona, com um Produto Interno Bruto (PIB) em 2019 de quase R$ 700 bilhões, cifra que dá à cidade o posto de a 10ª mais rica do mundo. E com tanta gente e uma economia tão ativa, a mobilidade na capital não poderia deixar de ser também gigantesca.
O Metrô, por exemplo, transporta diariamente 5,3 milhões de passageiros, que vêm e vão a uma das 89 estações disponíveis em uma de suas 6 linhas: Linha 1–Azul (zona norte a zona sul), Linha 2–Verde (zona leste a zona oeste), Linha 3–Vermelha (zona leste a zona oeste), Linha 4–Amarela (Zona Oeste até o centro), Linha 5–Lilás (zona sul) e Linha 15–Prata (zona leste). A linha Azul corta a cidade de norte a sul, enquanto a Linha Vermelha cruz entre as Zonas Leste e Oeste. O ponto comum entre as duas linhas é a Estação Sé, bem no centro da cidade e marco zero de sua fundação.
Também há integrações para outras linhas do Metrô nas estações Paraíso, Ana Rosa, Barra Funda, Santa Cruz. E várias estações que se integram as linhas 7 – Rubi, 8 – Diamante – 9 – Esmeralda, 10 – Turquesa, 11 – Coral, 12 – Safira e 13 – Jade, todas atendias por trem pela da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).
Os trens da CPTM transportam em média cerca de 3 milhões de passageiros por dia, ao longo de sua extensão de 271 km. Eles cobrem a capital e 22 outros municípios da Região Metropolitana de São Paulo, com 94 estações em sete linhas. As extremidades das linhas são em municípios colados à São Paulo, como Jundiaí, Mogi das Cruzes, Rio Grande da Serra e Itapevi. O trem ajuda boa parte da população a se deslocar até as estações de metrô e, a partir delas, as pessoas conseguem chegar a destinos como o centro, que inclui República, Rua 25 de Março, e até a região da Avenida Paulista, grande polo de comércio, cultura e de serviço.
Mas os ônibus continuam sendo o principal meio de locomoção coletivo na cidade, apesar da perda de passageiros nos últimos anos para o transporte sobre trilhos, mais rápido e menos poluente, ou até para bicicletas e outros meios. Sinal de amadurecimento na mobilidade da cidade. Em 2019, o total de passageiros transportados superou impressionantes 2,6 bilhões! São mais de 14 mil ônibus divididos em 1,3 mil linhas municipais, geridas pela Prefeitura por meio da São Paulo Transportes (SPTrans), empresa pública subordinada à Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes.
Os passageiros contam ainda com o Expresso Tiradentes, chamado de rede de ônibus de trânsito rápido, ou Bus Rapid Transit (BRT), já que são veículos que trafegam por via exclusiva. O sistema liga o Parque Dom Pedro II à estação Vila Prudente, onde é possível acessar a linha verde do metrô ou com a linha 15-Prata. E também bifurca até o Sacomã, fazendo conexão com a linha Verde do Metrô e permitindo o acesso à porção sudeste da cidade.
Além dos ônibus municipais, a Grande São Paulo também é atendida pela Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), vinculada à Secretaria de Transportes Metropolitanos, do Governo do Estado, que também cuida do Metrô e da CPTM. Trata-se de uma área de 8 mil metros quadrados, com mais de 21 milhões de habitantes.
Todas as estações de Metrô permitem o embarque com bicicleta. E esse é um modal importante, em crescimento e aprimoramento na cidade. A malha cicloviária permanente, de acordo com informações da Companhia de Engenharia e Tráfego (CET), conta com 536,5 km de vias. O sistema oferece 7.980 vagas em 75 bicicletários públicos e outras 738 vagas em 29 locais com Paraciclos, instalados nos Terminais de Ônibus, estações de metrô e estacionamentos CET.
No site da CET há um mapa da rede, atualizado, com informações úteis, incluindo endereços de bicilcletários. ( http://www.cetsp.com.br/consultas/bicicleta/mapa-de-infraestrutura-cicloviaria.aspx ). Bastante comum na região da Avenida Paulista, mas disponível em muitos bairros que contam com relativo acesso fácil ao tronco principal da malha cicloviária, é possível alugar bicicletas por meio de aplicativo, pagando por tempo de uso.
Com tantas alternativas de transporte na Grande São Paulo, parece impossível escolher a melhor forma para se deslocar metrópole? Calma, foi justamente pra isso que a Quicko nasceu! É só colocar o endereço do seu destino que a gente te mostra diversas opções, combinando os modais públicos e privados, pra você escolher a mais rápida, mais barata ou aquela que é mais conveniente.
No Quicko app você também pode ver quanto tempo falta pro seu ônibus chegar no ponto e até receber alertas sobre mudanças na operação do transporte público que afetam o seu caminho. Você também pode recarregar seu Bilhete Único, pegar um guarda-chuva emprestado e até ganhar descontos e benefícios dos nossos parceiros.

Imagem: Veja São Paulo


Para ter acesso à localização dos postos no mapa e conferir as melhores rotas para tomar a vacina, baixe o aplicativo da Quicko!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *