Porto Alegre e a evolução do transporte na cidade | Blog da Quicko

Os diferentes modais de Porto Alegre desde as Maxambombas

Quem vê uma cidade desenvolvida e cosmopolita como a capital do Rio Grande do Sul e dos pampas dificilmente consegue imaginar que ela já foi movida por “maxambombas”. O nome veio de uma expressão inglesa machine pump que se refere aos bondes tracionados por mulas, que funcionavam no século 19 como uma pequena locomotiva pelas ruas. Bem diferente da realidade atual dos modais de transporte da cidade!

A primeira linha das maxambombas em Porto Alegre foi inaugurada em 1864 e durou até 1872. Além de pesados, barulhentos e sem nenhum conforto, esses veículos percorriam trilhos de madeira, assentados em terrenos mal sedimentados, o que rapidamente inviabilizou seu uso.

Mas os bondes, propriamente dito, prosperaram. O ano de 1908 marcou o início da circulação dos bondes elétricos. A rede chegou a ter quase uma centena de veículos nos anos 1920, e seguiu operando durante décadas até que esse meio de transporte fosse substituído, aos poucos, pelos ônibus. O último bonde circulou em março de 1970, encerrando suas atividades com uma solene – e merecida – cerimônia de despedida pelos serviços prestados!

Urbanismo acelerado

De lá para cá, o trânsito da capital foi crescendo e se tornando cada vez mais caótico com o grande volume de carros circulando pelas ruas. Mesmo com mudanças sistemáticas no tráfego, os engarrafamentos são constantes nas principais vias, principalmente em horários de pico.

Diversidade de modais

Os ônibus começaram a circular em 1926. Na época, os coletivos motorizados seguiam trajetos semelhantes aos percorridos pelos bondes. Já a partir de 1980, a cidade começou a implantar corredores exclusivos, hoje com 65 quilômetros de extensão. As operações por esse meio foram expandidas e atualmente a capital dispõe de 350 linhas, onde trafegavam 1,7 mil ônibus, na época anterior à pandemia. O sistema de pagamento de passagens para ônibus em POA é o cartão eletrônico TRI (Transporte Integrado de Porto Alegre), e para quem é da região metropolitana e também precisa circular de ônibus pela cidade tem o TEU (um bilhete metropolitano).

Entre as diversas opções, o trem em Porto Alegre ainda não atende plenamente às necessidades da cidade, mas faz parte do dia a dia da população. Ele liga a cidade de POA até a região metropolitana fazendo seu percurso pela costa do rio. É operado pelo governo federal e dispõe de 43,4 km de extensão. Em 2020, transportou 24.386.843 de usuários, segundo a Trensurb (Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre).

Já pela linha de trens urbanos é possível seguir para Canoas, Esteio, Sapucaia do Sul, São Leopoldo e Novo Hamburgo. Outro modal disponível é o hidroviário. Os catamarãs, com propulsão a motor e capacidade para levar até 120 pessoas sentadas, são utilizados no percurso fluvial pelas águas do Guaíba, rumo a esse município da região metropolitana de Porto Alegre.

Para pedalar

Os porto-alegrenses também dispõem de cerca de 60 quilômetros de malha cicloviária para suas bikes, a maior parte concentrada em áreas centrais da capital. Se a infraestrutura ainda é insuficiente para o número crescente de ciclistas, pelo menos há vias em trechos estratégicos da metrópole, como nas avenidas Ipiranga, Mauá e Aureliano de Figueiredo Pinto, além da orla do Guaíba.

Recentemente a ciclovia em Porto Alegre foi ampliada. Os bikers porto-alegrenses podem pedalar ao redor do Parcão, um dos principais parques da cidade, e pela Rua 24 de Outubro, importante e movimentada via na cidade.

A BikePoa, parceria da Prefeitura de Porto Alegre com o banco Itaú, atua no compartilhamento de bicicletas. Dispõe de 41 estações da Tembici, com 410 equipamentos para locação.

Para encontrar um desses pontos, os usuários de Porto Alegre já podem contar com o app da Quicko, que chegou no início deste ano à cidade para facilitar a integração entre modais e a escolha dos melhores trajetos de circulação. O aplicativo promete ser tão indispensável para a mobilidade local e pode ser utilizado tanto por torcedores irem à Arena quanto ao Beira Rio, sem distinção.

Imagem: Jefferson Bernardes/PMPA


Para ter acesso à localização dos postos no mapa e conferir as melhores rotas para tomar a vacina, baixe o aplicativo da Quicko!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *